Foz do Iguaçu (PR)

Tá, tem as Cataratas. Do lado brasileiro e do lado argentino. E isso por si só já seria suficiente para transformar Foz do Iguaçu em destino obrigatório para sua visita. Mas adivinha? A cidade tem ainda mais coisa. E isso torna a viagem ainda mais interessante. Isso sem falar que você pode ir para Puerto Iguazu na Argentina e Cuidad Del Este no Paraguai e dizer que já viajou pra fora do Brasil. Dá para passar uma semaninha tranquilamente em Foz e arredores, mas se não dispor de todo esse tempo, pelo seu bem reserve no mínimo três ou, ideal, quatro dias. E dica de amigo que você ainda vai me agradecer MUITO por ela: vá em época de lua cheia. Ah, e se puder, alugue um carro. Dá para fazer tudo de ônibus, mas  de carro fica mais rápido e fácil.

Mais: a fria e bela Curitiba

Comecemos do começo: o Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu, no Brasil. Do Centro dos Visitantes você vai de ônibus do parque até a trilha que leva aos mirantes e à Garganta do Diabo, a queda mais famosa.

ônibus_cataratas cataratas_10trilha Garganta-do-Diabo

Pegue o ônibus de volta, mas pare na Macuco Safari e pegue o bote para ver as cataratas de baixo e tomar um banho das quedas d’água. E não é só respinguinho não, é banho mesmo. As capas de chuva são meramente ilustrativas, então se não tiver máquina a prova d’ água, esqueça, você não vai tirar fotos (essas eu roubei da internet).

Macuco-Safari-Aventura-nas-Cataratas-do-Iguaçu Parque-Nacional-do-Iguaçu-PR-passeios

E assim foi-se o dia. Mas, se você tiver mais um dia disponível para passar no parque, deve valer muito a pena fazer as duas outras trilhas: Trilha do Poço Preto e Trilha da Bananeira, para ver a vegetação e, principalmente, os animais do parque.

E tem algo que está na minha lista do “preciso fazer antes de morrer”: o Luau das Cataratas – quando o parque fica aberto das 20h à meia noite e você pode ver a lua cheia sobre as Cataratas. Acontece uma vez por mês, no dia de lua cheia, óbvio, então é bom se programar antes. E, como eu ainda não fiz, a foto abaixo foi roubada da internet.

lua

Guarde um dia para visitar as cataratas do lado argentino. Para atravessar a fronteira é preciso que você apresente seu RG na aduana argentina ao entrar (não precisa na volta). Você consegue ir de ônibus, carro ou táxi. No lado argentino o parque não aceita reais, então é melhor você já levar pesos.  A ida até as trilhas para as quedas d’água é de trenzinho e eu tenho que dar o braço a torcer: a vista é ainda mais incrível (se isso for possível) do que a do lado brasileiro. Ok., não podemos ganhar em tudo. Pelé é melhor que Maradona, a vista da catarata deles é melhor que a nossa.

trem-iguazu-03  Trilha Iguazu   trilha Iguazu CataratasdelIguazu

Antes de voltar para o Brasil, aproveite para conhecer a charmosinha cidade de Puerto Iguazu e gaste uns pesos no Cassino Iguazu, já que não temos cassinos em casa.

Puerto-Iguazu  cassino_iguazu

O Paraguai, com seus eletroeletrônicos muito mais baratos, está logo ali perto. Difícil resistir ao impulso de comprar uma máquina fotográfica digital, ou um computador (eu comprei um iMac), ou um videogame, ou qualquer outra baboseira que você não precisa, mas já que está ali, né, por que não? Dá pra atravessar a Ponte da Amizade à pé, mas pague um pouquinho mais e vá de mototáxi, muito mais rápido. Ao contrário da Argentina, não tive que apresentar documento nenhum nem na ida nem na volta. Mas Cuidad Del Este é feia, serve mesmo só para chegar, comprar e voltar. As lojas e shoppings, aliás, ficam logo depois da ponte. E volte de táxi: barato e você corre menos risco de ser parado pela Polícia Federal, ou seja, há menos chance de ter que pagar imposto caso ultrapasse a taxa de 300 dólares permitida.

ponte  fronteira-paraguai  ciudad del este  fronteira_brasil

Se você foi para o Paraguai, não deve ter gastado muito tempo lá, então aproveite o resto do dia para visitar a tríplice fronteira (outra igual só em Assis Brasil, no Acre, na fronteira com Bolívia e Peru).

Monumento Tríplice Fronteira Mirante Tríplice Fronteira

E, fechando o básico que você deve conhecer de Foz, tem a, até agora (antes da conclusão de Três Gargantas na China), a maior hidroelétrica do mundo: Itaipu. Você tem vários tipos de passeios guiados, sendo que no mais completo deles você passa pela barragem, passa por fora, passa por dentro, vê a sala de controle, tudo. Não dá pra não ficar impressionado com a grandiosidade da porra toda.

Itaipu_logo Itaipu_turbina itaipu-hidreletrica passeio_itaipu

Se você estiver por lá na sexta ou sábado, volte também às 8 noite (9 da noite no horário de verão), para ver algo que deve ser sensacional: o acendimento das luzes da barragem, sincronizados com música. Digo “deve ser” pois essa é mais uma coisa que eu não vi e voltarei para ver, sem sombra de dúvida.

Barragem_noite

Outros dois passeios que normalmente ninguém faz, mas que eu achei bacana de passar simplesmente pela diversidade religiosa: o templo budista e a mesquita muçulmana. Mas faça esses passeios se estiver de carro. De ônibus é mais fora de mão e de táxi, a não ser que você tenha dinheiro sobrando, a tarifa não compensa.

No templo budista, mais de uma centena de estátuas te dá as boas-vindas e há uma estátua gigante do Buda.

Buda  estátuas

Na mesquita, sua arquitetura e seus arabescos impressionam. E o mais legal é ver que essas religiões coexistem em harmonia.

Mesquita_foz Interior_mesquita

Há também o passeio ao Parque das Aves (que não fiz por falta de tempo) e o passeio de helicóptero pela cataratas (que eu não fiz por falta de verba).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *