Goiânia (GO)

Antes de mais nada, quero esclarecer que eu sou goiano. Tenho orgulho de ter nascido em Goiânia e adoro, de verdade, essa cidade. Por isso, não estou sendo implicante ou injusto quando afirmo: Goiânia é a pior capital, em termos turísticos, do Brasil. (Bom, Boa Vista e Porto Velho também estão pau a pau, podem brigar pelo título). Faça o teste: pergunte para qualquer um o que vem à mente quando você fala de Goiânia. Aposto que “Césio 137” e “Leandro e Leonardo” serão as principais respostas.

Mais: não deixe de conhecer Cidade de Goiás

Goiânia tem a vantagem de ser uma cidade planejada que deu certo, limpa, organizada, avenidas amplas, superarborizada e tudo o mais. Se você não se importa com o calor do cerrado, é ótima para se morar (você se acostuma à música sertaneja e à ausência de mar). Fora que o povo de lá, sem puxar sardinha pro meu lado, é simpaticíssimo.

Goiania2 Goiania3

Mas sejamos sinceros: para atrair turistas, ela não tem nada. Sim, ela tem parques maravilhosos, como o Bosque dos Buritis (esq), no meio da cidade, ou o Parque Vaca Brava (dir), uma belezura. Em ambos, pequenos animais e pássaros convivem tranquilamente com os frequentadores, e passear por eles, parar para contemplar, ler um livro, é bem aprazível (adoro essa palavra). Mas, claro, você vai aprciar bem mais isso se for morador da cidade. Quem é que vai para alguma cidade para ver parques?

bosque-buritis VacaBrava2

A vida cultural é muito agitada, não há como negar. Você pode visitar o Museu de Arte de Goiânia, o Museu Pedro Ludovico (esq), o Museu Goiano Zoroastro Artiaga (dir), o MAC e o Museu da Praça Universitária, por exemplo. Mas, aposto, pouquíssima gente se disporia a pegar um avião porque “a vida cultural é intensa”.

Pedro Ludovico  Zoroastro Artiaga

Goiânia, claro, tem seus monumentos característicos, como os Painéis de Arte Sacra (esq), a maior galeria de arte a céu aberto do mundo que retrata os principais momentos da paixão de Cristo e o Monumento às Três Raças (dir).

via-sacra Tres Raças

Conclusão: Goiânia não é turística. Ponto. Quem vai pra lá vai a) a trabalho; b) pra congresso (afinal, fica no meio do Brasil, fácil de juntar grandes equipes espalhadas pelo país); ou c) está de passagem para outras paragens, tipo Cidade de Goiás, Pirenópolis, Parque Nacional das Emas ou Chapada dos Veadeiros.

Mas nem tudo está perdido. Apesar de não ser turística, se você por algum acaso for obrigado a passar alguns dias em Goiânia, ela não vai te decepcionar. Digo mais: se tiver a mínima oportunidade de passar alguns dias, mesmo que não tenha obrigação, não perca a chance e aproveite.

Bandeirante

“Mas aproveitar o que, se você está dizendo até agora que Goiânia é a cidade menos turística do Brasil?” certamente você está se perguntando. Fácil. O melhor de tudo é a noite, principalmente no Setor Bueno ou Setor Marista, que é excepcional. São dezenas de bares (assim como em Belo Horizonte, a falta de mar prolifera bar, parece) e muita gente bonita.

bar-gyn officina-grill-goiania

O centro de Goiânia é uma pérola a ser descoberta. Projetado por Atílio Corrêa Lima, descrito como uma mistura de Niemeyer e Lúcio Costa, ou seja, urbanista e arquiteto, o centro é rico em prédios e fachadas no estilo art-decô. Claro que você precisa ter o olho um pouco treinado, já que a preservação da arquitetura original não foi a prioridade ao longo dos anos. Quando nada, quando nada, aproveite a delícia que é caminhar sem rumo e descobrir você mesmo pequenos encantos em algum lugar que você não conhece. Mas vale o passeio e a curiosidade de ver o Goiânia Palace Hotel (esq), o Teatro de Goiânia (dir), a Estação Ferroviária e a Torre do Relógio (mais abaixo), entre outros.

goiania-palace-hotel teatro-goiania-2 estação_ferroviaria torre do relógio

Para quem curte futebol, taí o Serra Dourada. Pode ser só resquício de memória afetiva, mas acho um puta estádio charmoso, diferente das modernas arenas construídas para a Copa. E tem pamonha frita dentro do estádio! Quinze minutos de intervalo é pouco…

serradourada1 serra_dourada2

Aliás, falando em pamonha, Goiânia é uma festa para quem gosta de comer. Próximo geograficamente a São Paulo e Minas Gerais, pegou o que de melhor os dois têm em culinária e ainda enriqueceu com pequi e suas pamonhas salgadas, com vários e surpreendentes recheios (como queijo coalho, linguiça, guariroba, carne de sol, frango, pequi, pimenta… às vezes, tudo junto).

Pamonha-de-frango Pamonha

Isso sem falar nos sorvetes, que são o contraponto ideal para o calor inclemente, e que trazem as dezenas de frutas exóticas e diferentonas do cerrado. Você vai sentir uma tentação incontrolável de experimentar todos, por mais estranhos que os nomes pareçam: buriti, murici, cagaiba, araçá, brejaúba… Claro que uns são melhores que outros, mas como você vai saber se não provar, não é mesmo?

bocaiuva Sorvetes

No fim das contas, você vai ver que, para uma cidade sem nenhuma vocação turística, Goiânia é até que muito legal. Palavra de goiano.

2 Comments

  1. hahahah Gostei do seu texto! Estava eu procurando por sorvetes de frutas exóticas e pelo Google eu cheguei até à foto que me levou ao seu endereço… Nada a ver com seu post, né? Mas gostei dele. E quero lhe dizer que apesar de morar na cidade mais turística do Brasil – principalmente no próximo ano, nas Olimpíadas – , a mais famosa do Brasil no mundo, quase lhe invejo, pois gostaria mesmo era de morar em Goiânia… Não pelas belezas, pelas atrações turísticas – que, como vc mesmo disse, quase não existem – mas por outro motivo que já lhe digo… Bem, o Rio de Janeiro tem grandes atrações turísticas naturais (Corcovado, Pão de Açúcar, praias….) e ainda outras construídas pelas mãos do homem. E vai ficar melhor ainda, pois estão sendo construídos novos museus, além dos que já possui, principalmente o Museu do Amanhã, com arquitetura do famoso arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Veja pelo Google as belíssimas imagens da projeção de como vai ficar depois de pronto! E ainda está sendo também construído o maior aquário da América do Sul, veja também as belas imagens de como ficará, pelo Google ou outro buscador. Sem dúvida, no Brasil, será imbatível turisticamente o Rio de Janeiro… Mas eu gostaria de sair do Rio, de me mudar para Goiânia, de ter nascido em Goiânia, ou outra cidade bem mais para o interior do País, pois fiquei sabendo, por fonte bem confiável (entre outras fontes), que algo muito ruim ainda vai acontecer, mesmo, ao nosso mundo, ao nosso planeta…. E que principalmente as regiões litorâneas serão duramente atingidas, castigadas, para não dizer destruídas (pelo mar)… Eu sei que, hoje, tem quem acredite e quem não creia, mas, eu já estou certo, já tenho comigo a certeza de que infelizmente a Terra virá em breve a passar por “maus bocados”… Enfim, não vou me estender nesse assunto, pois é realmente uma questão de crer ou não, só mesmo o futuro vai mostrar se estava certo quem hoje crê ou quem não crê que algo muito ruim vá em breve acontecer neste mundo… Mas por essa certeza que eu tenho comigo é que eu trocaria de cidade facilmente, facilmente trocaria o Rio por Goiânia… E acho que quem vive hoje em Goiânia é um privilegiado… por estar mais protegido, seguro, de acordo com o que creio sobre o futuro… Goiânia não dá pra mim, mas, tenho um irmão que mora em Ribeirão Preto – SP, e, se eu puder, mudarei em breve para lá, pois não vou “esperar para VER”… Bem, desculpe se lhe aborreço com esse “papo”, mas só quis “filosofar” um pouco sobre como às vezes as aparências podem nos enganar, como às vezes podemos pensar que algo é ruim e com o tempo vermos que é bom… Um abraço! Felicidades! 🙂

    • Opa, Alex! Que bom que chegou no site por um meio nada a ver, mas que leu o post até o fim. Eu nasci em Goiânia, mas não moro mais lá. E concordo com você: mesmo não sendo nada turística, é cheia de encantos. Volto sempre que posso. E o su Rio de Janeiro, o que posso dizer? Sou apaixonado por essa terra, rapaz! Dê uma passeada pelo site, é uma das poucas capitais do Brasil que eu dediquei não só um, mas dois posts pra dar conta de tudo o que vi por aí. E tenho consciência que eu não vi tudo. Dê uma olhada e por favor, me indique coisas que eu não conheci, para poder voltar para o Rio e escrever um novo relato.
      Sobre as instabilidades que o mundo vai passar, infelizmente ambas as correntes, tanto místicos quanto cientistas me parecem unânimes quanto ao fato de que sim, os mares aumentarão e as cidades litorâneas vão sofrer (inclusive países inteiros que ficam baseados em ilhas, tipo a Micronésia, estão comprando terras em países vizinhos para escapar de uma vindoura elevação dos mares).
      Se você curte esse lance de misticismo, cara, fica aqui a dica: dê um pulo na Chapada dos Veadeiros (fica em Goiás, mas mais fácil de ir a partir de Brasília), na Chapada Diamantina (a partir de Salvador dá pra ir de carro ou pegar um vôo) ou bem mais perto do Rio, a simpática São Tomé das Letras, perto da divisa de Minas com São Paulo. Nos três lugares a conexão com as energias são demais! Em breve devo publicar os relatos de como ir e o que fazer nesses lugares.
      Um abraço e volte sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *