Jericoacoara (CE)

Não vou ser óbvio de falar que Jericoacoara é foda, que é um dos lugares no Brasil que PRECISAM ser visitados, nem nada disso, porque isso você certamente já ouviu falar. Vamos direto ao motivos dessa afirmação.

Mais: a primeira vez em Fortaleza

Mais: Fortaleza turismo nível avançado

Primeiro, o básico: Jericoacoara é o nome do vilarejo na praia (e do Parque Nacional onde está inserida). A cidade mesmo chama Jijoca de Jericoacoara (um festival de jotas. Mais indígena, impossível). Você tem que ir até Jijoca e lá pegar uma jardineira até Jericoacoara.

Para chegar até Jijoca, você pode a) ir de carro, que você deixa em um estacionamento municipal (estava R$ 10 por dia); b) ir de ônibus (pela Fretcar, que sai da rodoviária de Fortaleza, já vende o “combo” com a jardineira junto); ou c) pegar uma das inúmeras vans de turismo que se oferecem nos hotéis e operadoras de turismo em Fortaleza, que também já vendem a jardineira junto. São 300km até Jijoca, em uma estrada até que ok, e mais 20km pelo areial até Jericoacoara, onde chama a atenção a grande quantidade de jegues pastando livres pelas dunas. “Sabe como é, ficou fácil comprar moto, pessoal foi trocando de meio de transporte e abandonou os bichos, que vivem por aí à própria sorte agora” explicou o motorista da jardineira.

Jardineira jegues

O povoado é minúsculo, tem apenas três ruas paralelas e algumas transversais. As ruas de areia e o clima rústico são o grande charme. Interessante conhecer os vários gringos,e  os brasileiros de todo lugar do país, que foram visitar, se apaixonaram e resolveram ficar por lá. Nem preciso ressaltar que a capacidade de acomodar turistas não é lá muito grande, a oferta de hotéis e pousadas e restaurantes é limitada e, portanto, melhor reservar onde vai ficar antes de ir.

Beco Forró Jeri

Mas quantos dias eu preciso pra conhecer tudo lá?, você se pergunta. Dúvida muito pertinente, admito eu. Três dias inteiros são suficientes, mas se passar cinco dias não fica sem ter o que fazer. E conheci gente que estava lá há uma semana (que é a entrega absoluta ao nadismo, um exagero de ócio). E aqui vem a dica de ouro: se der, vá em julho, ou pelo menos prefira o segundo semestre. Os porquês eu detalho abaixo.

Como você leva umas 4 horas (de carro ou van) ou 5 horas (de ônibus) para chegar em Jericoacoara, o ideal é sair cedo de Fortaleza e chegar na hora do almoço em Jeri. Aí você almoça por lá, dá uma volta para conhecer a cidade (programa que não leva meia hora) e aproveita a tarde na praia, de boa. No fim do dia, caminhe até a Duna do Por do Sol para apreciar, obviamente, o por do sol, lindíssimo (dizem. Eu fui em abril e choveu todos os dias no fim de tarde e o por do sol sempre foi encoberto, não vi nenhum).

Duna por do sol por do sol na duna

Escolha um dia para ir de buggy (há vários bugueiros pela cidade, ou você pode perguntar por um no seu hotel) até a Vila de Tatajuba. No meio do caminho você pode parar para ver cavalos-marinhos (ou vai dizer que já tinha visto algum assim, frente e frente, in natura, alguma vez na vida?). A vila, que foi soterrada por dunas e reconstruída do outro lado do rio, você alcance atravessando em balsas movidas com varas. Sim, rusticidade é a palavra de ordem. Pronto, aí é só passar a tarde curtindo deitado nas redes dentro da Lagoa da Torta e comendo pratos feitos com peixes fresquíssimos (Tatajuba é uma aldeia de pescadores).

cavalo_marinho lagoa torta tatajuba Velha-Tatajuba

Outro dia, mais um passeio de buggy, agora para as Lagoas do Paraíso e Azul. O mesmo esquema de “passar-o-dia-na-rede-dentro-da-lagoa” que, garanto, não enjoa. (no caminho de volta, infelizmente não consegui tirar uma foto de uma faixa que vendia filhotes de “lavrador”).

Lagoa Azul Lagoa Paraiso

Em um dos dias experimente acordar cedo e ir pela praia, com a maré baixa, até o cartão postal de Jericoacoara, a Pedra Furada. Ou, se deixar para o fim do dia, você vai caminhando por uma trilha por trás, mas tem a vantagem de ver o sol se pondo exatamente no buraco da Pedra Furada (um julho). Eu, como fui em Abril, não vi isso e peguei só chuva na Pedra Furada.

Pedra furada 1 pedra furada 2

Pronto, você já conheceu o principal de Jeri. Mas se ficar mais dias, e o orçamento permitir, dá pra pegar um quadriciclo, ou fazer passeio a cavalo, ou ainda ter aulas que wind ou kitesurf.

kitesurf

A noite você passa basicamente em alguns bares e, às quartas e sábado, tem um forró bem movimentado, R$ 10 a entrada. E numa das vielas há um barzinho que eu não lembro o nome que vende uma caipirinha de um litro, onde você invariavelmente encontra uma moçada reunida. Pelo tamanho da cidade, não é difícil de achar.

Noite Jeri

Agora, se você quer unir Jericoacoara com outro passeio incrível, fazendo uma viagem inesquecível, vá de Jericoacoara até os Lençóis Maranhenses, via Parnaíba (em breve).

Veja como fazer esse roteiro pra lá de fantástico em detalhes aqui (em breve).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *