Miranda (MS)

Miranda é uma das portas de entrada para o Pantanal sul mato-grossense (Aquidauana e Corumbá são outras, caso esteja se perguntando).

Captura de Tela 2014-11-21 às 23.53.27 Orelhão Arara

Distante 200 km de Campo Grande, você chega em Miranda fácil pela BR-262 (que vai até Corumbá), ou de ônibus (a viagem leva 3h) ou pelo Trem do Pantanal.

Mais: antes do Pantanal, descubra Campo Grande, a Cidade Morena.

Caso opte pelo Trem do Pantanal, além das paisagens foda que você tem pelo caminho, há uma parada rápida em Aquidauana. Como desvantagens, o passeio só acontece de sábado, mas não é todo sábado que sai (tem que ligar antes para se informar), além de que você passa quase o dia inteiro no trem. (Em tempo: atualmente – fins de 2014 – o trecho Campo Grande-Aquidauana não está operando porque está em obras. Ou seja, você só faz de trem o menor percurso, entre Aquidauana e Miranda).

trem-iguazu-03 TREM DO PANTANAL 218

A cidade em si é daquela típicas cidades do interior: pequena, a vida passa mais devagar e há pouca coisa para se fazer. A estação de trem fica no centro da cidade e a rodoviária, na entrada da cidade. Mas não importa de onde você venha, qualquer lugar você chega à pé.

Estação Miranda 2 Estação Miranda 1

O trilho do trem, inclusive, corta a cidade e no curioso calçamento, figuras dos animais da região.

Trilho Miranda Calçada Tatu

Na entrada da cidade há uma Casa de Cultura dos índios Terena, habitantes da região, e venda de artesanato feito por eles.

Fora Terena Interior terena

Claro que há a tradicional pracinha, com coreto e tudo, e a Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo.

Praça Miranda Igreja Matriz

O nome da cidade vem do rio que corta o município (um doce pra quem adivinhar): Rio Miranda. Um passeio bacana é ver o encontro das águas cristalinas do rio Salobra com as águas turvas do rio Miranda (um mini-encontro das águas à lá Manaus).

Miranda_salobra encontro_miranda_salobra

A estrutura turística está ainda começando, mas já há algumas boas pousadas e uma empresa de receptivo. Ela te leva até a Fazenda San Francisco para um dos passeios mais legais pelo Pantanal, onde você vê animal pra caralho (tamanduá, jacaré, tuiuiú, várias aves que eu não sei o nome…): um Day Use com caminhada por trilha, safári fotográfico e passeio de chalana. Tudo devidamente acompanhado de farto almoço pantaneiro, caldo de piranha, etc etc etc. Há a opção de pernoite para focagem noturna, mas eu não tive tempo nem dinheiro pra isso. Fica pra próxima.

fazenda_sfrancisco Pantanal-12 Chalana  Passeio Safari Fotográfico

A noite, claro, não tem lá muita opção, mas fica o registro que, nessa cidade na beira do Pantanal eu achei, num boteco português, um hambúrguer de bacalhau. WTF?

Mas ok, a cidade toda você vê em meio dia e pode se satisfazer com o Day Use de Pantanal na Fazenda São Francisco. Agora, já que está ali mesmo, recomendo viver o Pantanal mais à fundo. Como? Fácil: clique abaixo e descubra onde ir, o que fazer e quanto tempo ficar.

Pantanal: o guia básico (em breve)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *