Trinidad e Tobago

Guia rápido para visitar Trinidad e Tobago

Visto? Não, só passaporte.
Vacina contra febre amarela? Sim.
Moeda: dólar de Trinidad e Tobago, que é um sexto do dólar (confira a cotação atual aqui). Ou pode pagar em dólar mesmo, todo mundo aceita, mas aí a cotação vai naquelas contas de cabeça e normalmente você perde mais.
Clima: quente o ano todo. Chove mais de junho a dezembro e não tem furacão.
Povo: muito simpático e falante (um inglês meio jamaicano, difícil de entender), com estilo bem despojado de ser (tipo o que você encontra em Salvador). Inclusive com inclinações a fazer graça para toda e qualquer mulher (nada ofensivo, mais na pegada “vai que”). Mas é bom ficar atento, porque eles tendem a inflacionar o preço de qualquer coisa sempre que podem, para tirar um troco a mais.
Destaque: Tobago, sem dúvida. A não ser que tenha dias e mais dias de sobra, não perca tempo em Trinidad.
Programas: fazer o tour (de carro ou barco) pelas praias, passar um dia em Pigeon Point e mergulhar na Goat Island
Quantos dias? Três dias, no mínimo (em Tobago).


Bandeira_TT

Visão Geral

Trinidad e Tobago é um país formado por duas ilhas distintas, dois mundos bem diferentes. Grosso modo, mal comparando, Trinidad é a maior ilha, tipo a cidade grande. Tem muito mais gente, tem trânsito, tem criminalidade. Mas tem mais restaurantes e agito noturno. Tobago é a ilha menorzinha, seria o “refúgio de fim de semana”, aquele lugar para se ter a sua “casa de praia”. Então eu te pergunto: se você está de férias, quer relaxar numa praia de águas azul turquesa, preferiria ir pra onde? Por isso que eu digo, sem medo de errar, se você tem os dias contados de viagem esqueça Trinidad e dê preferência a Tobago.

Como Chegar

A exemplo do vôo que eu peguei vindo de Paramaribo, a maioria das aeronaves chega em Trindad, cujo aeroporto é bem maior e fica a mais ou menos uma hora de Port of Spain.

Mais: Paramaribo e outras surpresas do Suriname

Caso você desça em Trinidad, pra ir pra Tobago você pode optar por um vôo de 25 minutos (o mais rápido que já voei) da Caribean Airlines de míseros U$ 25, ou pelo ferry boat (U$ 8, mas que leva até 7 horas, dependendo da embarcação que você pegar). Mais abaixo eu dou as coordenadas certinhas pra pegar o ferry (se bem que, podendo, não tem nem dúvida: prefira o avião).

A Gol, entretanto, tem um vôo São Paulo – Tobago, que faz apenas uma escala em Barbados. Ideal para você ir direto para onde interessa.

Port of Spain – Trinidad

Não vou mentir: pouco fiquei na ilha de Trinidad. Menos de 24h, para ser mais preciso: tempo exato entre chegar e conseguir comprar o ticket da balsa para ir embora. Pesquisando eu não achei nenhuma praia que fosse unânime, imperdível (todas elas estão em Tobago), então pra que ficar? O que deu para ver foi durante a espera para pegar a balsa, andando pelo centro do Port of Spain.

Do aeroporto a Port of Spain você pode ir de táxi (mais caro) ou de Maxi Táxi (que nós conhecemos como van), que sai uns U$ 15 e demora uma hora mais ou menos.

Eles param no terminal de passageiros e dali você anda uns 500m até o terminal hidroviário.

Ferry_Terminal_TT

Comprar a passagem para o ferry não é tão fácil. Você só pode comprar a passagem pro mesmo dia no terminal hidroviário, que só funciona de segunda a sexta até 4 da tarde. Todos os outros pontos de venda só vendem passagens antecipadas. E não é todo dia da semana que tem saída no mesmo horário. E dependendo do horário, você compra pra uma embarcação que leva duas horas e meia pra chegar a Tobago ou pra outra, que pode fazer o mesmo trajeto em até 7 horas. É, realmente complicado programar. Para ver horários, embarcações, preços e tudo o mais entre no site da TT Inter-Island Ferry.

ferry_TT

Entre comprar o ticket direto no terminal hidroviário e a partida do ferry, foram algumas horas que eu tive para andar pelo centro, que não tem nada demais. Deve-se tomar aquele cuidado tradicional contra pequenos furtos, evitar ficar exibindo câmera fotográfica de última geração e coisa e tal, mas nada muito preocupante.

Ali do lado tem o Breakfast Shed, uma praça de alimentação bem simples, com tudo o que você possa imaginar em termos de cardápio local.

Breakfast_Shed_TT

A Independence Square tem um monte de comércio, estátuas e fast foods (caso você não tenha se aventurado no Braekfast Shed). Aliás, ê lugar pra se gostar dum frango frito.

Independece_Square_TT  Independence_Square2_TT

Tem a Igreja da Imaculada Conceição (com uma estátua do seu fundador cansado).

Imaciulada_Conceição1_TT   Imaciulada_Conceição2_TT

O crescimento que a indústria petroleira trouxe à ilha fez surgir vários arranha-céus espelhados, mas quesito prédios que são realmente bacanas, menção honrosa à Red House (onde funciona o parlamento) e à Police Station.

Red_House_TT  Police_Station_TT

E tem um farol no meio da rua que eu não entendi muito a finalidade. Deve ser farol de carros, só pode.

Farol_TT

Agora vamos para o que interessa, Tobago.

Tobago

A capital é Scarborough, mas o aeroporto, as melhores praias e os melhores hotéis ficam a uns 10km da capital, em Crown Point. Em Scarborough mesmo só tem o King George Fort, com uma puta vista da ilha.

Fort_KingGeorge2_TT  Fort_KingGeorge1_TT

Andar pela ilha pode se mostrar um desafio. Você pode alugar um carro, mas tenha em mente que é mão inglesa (ao contrário da nossa) e as ruas que cortam a ilha são realmente sinuosas e estreitas. Usar bicicleta, como eu vi em alguns sites, está fora de cogitação se você não for um biker nato. Um festival de subidas e descidas que nem eu, que estou acostumado a pedalar com frequência conseguiria encarar. A solução? Apelar para carona de morador ou pegar um dos inúmeros táxis coletivos em carros particulares, quase nunca sinalizados. A regra, interessantíssima por sinal, é clara: viu um carro vindo pela estrada, faça sinal. Se for táxi, ele vai parar. Se não for, ele passa direto. Se parar, você pergunta para onde está indo e/ou diz para onde quer ir e negocia o preço. Se ele não puder te levar, sem problemas. Você espera o próximo carro passar e repete o processo. Bom se informar antes com algum habitante da ilha o valor médio do trecho que você quer percorrer, para não ser cobrado a mais (sim, eles aproveitam pra ganhar uns trocados de turista sempre que podem).

De cara, vá para Pidgeon Point, a praia mais badalada e conhecida. Você paga para entrar e paga para alugar cadeira e guarda-sol, mas creia-me: a paisagem faz você pagar com sorriso no rosto.

Pidgeon_Point1_TT   Pidgeon_Point2_TT

De lá saem passeios de barco para você mergulhar em Nylon Pool (dir) e Buccoo Reef (abaixo).

Passeio_Nylon_TT   Nylon_Pool1_TT   Buccoo_Reef1_TT  Buccoo_Reef2_TT

Para conhecer várias praias em um só dia, há duas opções (que custam o mesmo preço e têm alimentação e bebidas inclusas):  o passeio de carro, que tem a vantagem de ser só para um casal, com guia exclusivo explicando tudo, ou o passeio de escuna, que tem a vantagem de ser uma escuna, o vento batendo na cara e um eventual encontro com golfinhos (que foi a que eu escolhi).

Passeio_TT

Seja qual for o passeio que você escolher ele vai parando, e você vai mergulhando, em várias praias, como Cotton Bay,

Cotton_Bay1_TT   Cotton_Bay2_TT

Englishman’s Bay

Englishman's_Bay2_TT   

e Castara Bay, entre outras que eu esqueci o nome.

Castara_Bay1_TT   Castara_Bay2_TT

Pra quem curte mergulhar, Tobago é um prato cheio. Speyside, além de ser linda, (com um mirante e as ruínas de uma antiga fazenda de açúcar) é o ponto de partida para Goat Island, Little Tobago e outros pontos ali perto que, dizem, serem os melhores da ilha.

Speyside_TT   Speyside_waterwheel_TT

Tobago tem também a primeira reserva ecológica das Américas (que ocupa uns 60% do território), com cachoeira e tudo o mais. Não visitei, mas deve ser interessante (e menciono aqui só pra constar). Uma coisa que eu descobri só estando lá e que me deixou bem triste de só saber depois. Perto da páscoa rola a corrida de cabra e, a mais interessante e inusitadas coisa de todas: a corrida de caranguejo. Eu , se fosse você, me certificava de marcar a viagem pra não perder isso.

goat-racing  crab_race

Mais: conheça Curaçao, outro paraíso do Caribe.

Mais: gosta de destinos pitorescos? Veja Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *